"Honeymoon" - Lana Del Rey

JOVEM DIVA

"Honeymoon" - Lana Del Rey

Lana Del Rey sendo Lana Del Rey

Este é o quarto álbum de estúdio de Lana Del Rey e terceiro em uma grande gravadora. Não há outro adjetivo que caracterize de maneira mais perfeita este álbum do que “lindo”. “Honeymoon” parece mesclar o melhor de todos os seus trabalhos, como esperam seus ouvintes. Ao mesmo tempo, não soa como uma repetição nem dá margens para pensarem que existe uma fórmula. Seguindo a linha do álbum “Ultraviolence”, “Honeymoon” é calmo e nostálgico em todas as músicas, sendo quase todo sussurrado e melancólico.

Elizabeth Woolridge Grant ou Lana Del Rey

Elizabeth Woolridge Grant tem dois nomes artísticos: Lana Del Rey e o antigo Lizzy Grant. Ela é uma jovem que parece ter nascido em época errada. É cantora, compositora, modelo fotográfica, atriz e roteirista, conhecida por seu estilo retrô das décadas de 1950 e 1960 e por sua semelhança com as famosas pin-ups. Em 2008, a cantora lançou seu primeiro trabalho, mas não teve sucesso. Então usou sua própria conta da Vevo para divulgar a música "Video Games", gravada em 2011. A canção se espalhou pela internet e, em pouco tempo, Lana ficou mundialmente conhecida.

Influências de uma jovem diva

As músicas de Lana Del Rey destacam-se pelo tom cinematográfico e pelas referências a vários aspectos da cultura pop e hip-hop, temperados pelo glamour decadente da década de 1940. A cantora descreve-se como uma "gangsta Nancy Sinatra". Artisticamente, ela afirma ser influenciada por grandes mestres de vários gêneros musicais, incluindo Elvis Presley, Amy Winehouse, Nina Simone, Billie Holiday, Janis Joplin, Nirvana, Kurt Cobain, Axl Rose, Bruce Springsteen e Lou Reed. A poesia de Vladimir Nabokov e os filmes noir de David Lynch também inspiram seu trabalho.

Dependência, solidão e descobertas

Lana Del Rey declara ter sido dependente de álcool na adolescência. Aos 15 anos, seus pais a enviaram para um internato, onde estudou por três anos e atingiu a sobriedade. A solidão que a cantora sentiu nessa época e um professor que ela admirava incentivaram a leitura e sua fascinação por primeiras edições de livros clássicos, que Lana coleciona. Grande parte do que a artista escreve em "Born To Die" é sobre esses anos. Quando ela fala sobre uma perda que teve, está se referindo ao álcool, porque esse foi o primeiro amor de sua vida.

Inspiração marcada na pele

Lana tem os nomes de suas fontes de inspiração tatuados pelo corpo. No antebraço direito, ela tem "Nabokov Withman", homenagem ao escritor Vladimir Nabokov e ao poeta Walt Whitman. No braço esquerdo, está gravado "Chateau Marmont", nome do hotel onde a cantora passou grande parte da vida. “Nina” (Simone) e “Billie” (Holliday) estão acima do peito esquerdo. Já na mão esquerda, pode-se ver a letra "M", de Madeleine, sua avó. No anelar direito, está escrito "Die Young", que, segundo Lana, é uma forma de inspiração para viver cada dia como se fosse o último.

Standout Logo

A OBRA EM DETALHES

"Honeymoon" - Lana Del Rey

Descrição: Honeymoon
Artista: Lana Del Rey
Mídia: CD
Intérprete: Lana Del Rey
Estilo: POP Internacional
Gravadora: Universal
Origem: Nacional
Ano de Produção: 2005
País de Produção: Brasil
Altura: 12,50 cm
Largura: 14,20 cm
Comprimento: 1,00 cm
Quantidade de Discos: 1
Peso: 00,11 kg

Standout Logo

Standout Logo